26 de fev de 2011

Pastor Presbiteriano dos EUA contesta leituras simplistas da homossexualidade no texto bíblico.

Pastor

O Reverendo Steve Brown é pastor emérito da Igreja Presbiteriana de Greeley, no Colorado, EUA.
Tomei a liberdade de traduzir seu texto, bastante preciso e conciso, acerca da questão da homossexualidade na Bíblia. O texto original está no site do Jornal The Tribune.
Seu texto faz uma leitura bastante séria e lúcida acerca das suspostas leituras bíblicas sobre a homossexualidade.
A Igreja Presbiteriana, assim como a igreja Anglicana, não discriminam ou condenam a homossexualidade, com bons argumentos teológicos para tanto.
O problema no Brasil é que a onda “Neo-pentescostal” autoriza qualquer um, sem nenhum estudo, sem nenhuma base, a interpretar a bíblia no trecho que melhor lhe convier, abstraindo o contexto bíblico e o contexto histórico. Agem por “inspiração divina”, “profetizam”, e quanto maior o escândalo e estardalhaço que fazem, mais confirmam para seu grupo a “autênticidade” da fé que “sentem”. Como isso, fazem da Bíblia o que bem quiserem fazer, sob as mais diversas denominações religiosas. E do outro lado, o catolicismo, com sua hierarquia, fica preso à dogmas que, à toda evidência, estão ultrapassados.
Então, peço desculpas por eventuais equívocos na tradução do texto do Reverendo Steve Brown, mas fui até onde meu inglês me permitiu.

Os argumentos bíblicos sobre a homossexualidade não são claros. 
O primeiro problema em discutir a questão da homossexualidade à luz da Bíblia diz respeito à linguagem e a história. “Homossexualidade” não é uma palavra que conste da Bíblia. A expressão “homossexualidade” surgiu de traduções do alemão para o inglês em meados de 1892. Qualquer estudioso do novo testamento pode notar que não existe uma expressão equivalente para “homossexual” em grego ou em hebraico. Homofobia é outra palavra nova, cunhada em 1972 cujo significado se refere ao sentimento de medo e ódio dos homossexuais.
Há uma palavra em grego “malakos” que se refere a  roupas delicadas ou femininas, como em Matheus 11:8 quando Jesus pergunta, “O que você vai ver? Alguém vestido em roupas finas? Veja que aqueles que vestem roupas finas estão em palácios reais”. Uma segunda definição de “malakos” é usada para definir garotos afeminados ou homens que não pertencem a si mesmos e se deixam usar sexualmente por outros homens.
Em Coríntios 6:9 e em 1 Timóteo 1:10, a palavra grega “arsenkoites” é traduzida como “sodomitas”, dependendo da tradução bíblica que é utilizada. Aqui há uma dificuldade em saber como interpretar o que esta expressão realmente significa. Por que? Por que é a primeira vez que esta expressão foi usada em grego ou em hebraico, o que faz com que estudiosos da bíblia digam que aparentemente o apóstolo Paulo misturou duas palavras para formar a expressão “arsenkoites”. Enquanto em grego  “arsen” significa “macho”, e “koites” significa “koites” significa “cama”, mas não é válido lingüisticamente dizer que a nova palavra significa homens fazendo sexo com homens.
Outro problema é que grupos contrários aos homossexuais usualmente apelam para leis naturais ou para afirmações sobre a natureza humana que são aceitas no meio religioso. Assim, o Rev. Jerry Falwell apareceu no programa “Conheça a Imprensa”, alguns anos atrás, comparando comportamento humano com o comportamento animal. Assim, ele dizia que era natural entre os animais que machos tivessem relações com fêmeas. Logo, apenas seria natural que homens se relacionassem com mulheres.
Entretanto, isto mudou quanto o Biólogo Bruce Bagemihl documentou relações homossexuais em 450 espécies do mundo animal. E seu comportamento incluía não apenas atividades sexuais, mas também o cortejar e atividades familiares.
Uma consideração adicional sobre os milhares de versos escritos em hebraico e nas escrituras cristãs, há pelo menos oito textos que compõe o que alguns pensam ser uma visão sobre  a homossexualidade, nenhum destes textos é sobre Jesus, nem inclui nenhuma de suas palavra, por que ele nunca falou sobre a homossexualidade.
O tão falado pecado de Sodoma e Gomorra, em Gênesis 19:1-29 não é sobre homossexualidade. É sobre violência sexual contra homens e mulheres, brutalidade contra pessoas (e anjos?) que a comunidade deveria proteger e sobre a falta de hospitalidade. E a passagem de romanos 1:26-27, outra passagem chave do Genesis, precisa ser interpretada no contexto do Capítulo 1 em que Paulo enumera questões que dizem respeito não a homossexualidade, mas a idolatria.
Desde que nossa cultura se distanciou no tempo daquilo que Jesus ou Paulo disseram não é legítimo pegarmos uma palavra ou frase na Bíblia e batermos o martelo esperando que  tudo se resolva com o discurso de autoridade de que “ Deus disse isso, E acredito, é o que está dito”. Este tipo de argumento triunfalista é sempre lançado contra a comunidade de gays, lésbicas, bissexuais ou transexuais de várias formas. É necessário parar com isso, por todos os séculos, que a comunidade GLBT viveu com o preconceito, a ridicularização, o ódio, a crueldade, ameaças, bulling e assassinatos.
Não podemos usar visões culturais dos primeiros séculos e aplica-las ás nossas afirmações atuais ou vice-versa. Robin Scroggs, professor do Novo Testamento no seminário teológico da união em Nova York, resume seus estudos bíblicos sobre homossexualidade em uma única sentença: “Julgamentos bíblicos sobre a homossexualidade não são relevantes para o debate atual”. Devemos lembrar também, que a bíblia é um produto de uma sociedade patriarcal e vê a sexualidade humana à luz da dominação masculina.


Crente do R* quente! Ex-pastor evangélico vira ator pornô gay

Gente, babado total!
Quebrou todos os preconceitos!

25 de fev de 2011

Juiz aplica Lei Maria da Penha para casal homossexual no RS

 
Deu no UOL
Com base na Lei Maria da Penha, a Justiça do Rio Grande do Sul concedeu medida protetiva a um homem que afirma estar sendo ameaçado por seu ex-companheiro.
A decisão, que impede que ele se aproxime a menos de cem metros da vítima, foi decretada na quarta-feira (23) e divulgada hoje.
O juiz Osmar de Aguiar Pacheco, de Rio Pardo (144 km de Porto Alegre), afirmou na decisão que, embora a Lei Maria da Penha tenha como objetivo original a proteção das mulheres contra a violência doméstica, pode ser aplicada em casos envolvendo homens.
"Todo aquele em situação vulnerável, ou seja, enfraquecido, pode ser vitimado. Ao lado do Estado Democrático de Direito, há, e sempre existirá, parcela de indivíduos que busca impor, porque lhe interessa, a lei da barbárie, a lei do mais forte. E isso o Direito não pode permitir!".
O juiz também afirma que, em situações iguais, as garantias legais devem valer para todos, além da Constituição vedar qualquer discriminação, condições que "obrigam que se reconheça a união homoafetiva como fenômeno social, merecedor não só de respeito como de proteção efetiva com os instrumentos contidos na legislação."
Além de proibir a aproximação do companheiro que ameaçou a vítima, o juiz reconheceu a competência do Juizado de Violência Doméstica para cuidar do processo.

23 de fev de 2011

Tem que ter charme pra dançar bonito…

Publicação1
Não, gentchi, eu odeeeeiio ser o último a saber dos babados! Como asseeem eu naum fikei sabenu que Levi Dancou da 'Efedece? Isso que dah
meestooorar Braseeel cum Egito!
Onde esse muondo vai parar! Cai Mubarak, cai Levi, cai o Kadafi… Tá defeeecel acompanhar as mudanças
Só agora fiquei sabendo que depois construir as pirâmides da UNIFLU, O Faraó Ramsés Levíbora I foi destituído, mumificado, e já providenciam seu sarcófago…
Ashei sacanagí isso nhéa… só por que o sujsheito maltratra, humeeelha, age como carrascooo, sádico, e governa há décadas,  as pessoas asham que podem destituir assim, como de fosse um ob usado !





E teve até uma reunião de um conselho de notáveis, “hiper”, que votou de decidiu tudo…
1145016168G2z2M0



Imagem do momento em que os notáveis se reuniam para defenestrar Leveee…



Mas tchipo, isso me parece uma coisa meio proclamação da repoooblica, independencia do Braseeel, sabe. Cadê o povo, Cadê os cara pintadas? Cadê as adolescente de malhação minha gente!? Cade as monas do flashmob! Cade o Zooombie walk?
Aeh, eu descoobro que junto das  adolescente, está ele, lá, que não é filho do Deus, mas é sobrinho! Sim, é ELE: RUST (= Ferrugem em inglês). Mais como conhecido pelo povo de Deus como Thiago Ferrugem, sobreeenho do Garoteeeenho!
Virou consoooltor, phyno, néah! Tava explicanu prás estudantchi da FDC, que nooonca viram uma eleição, como é que essa parada funciona.
Estudantes
Ai essa fotinha leeeenda do moveeemento studanchil, tirei do site da folha, viu,
Mas voltando às cacooras, nossa mensagem motivacional é: “Leave Levi Alone!” (Deishem Levi em Paz!)
Mas tchipo, se não der, se for pra dançar, vamos lá Levi, não desanime, aprende o passinho do Beto Jamaica !!!
“mostra esse agito pra mim, vai! Demais... Esse agito quente que nem areia no Saara, me queima vai! Danada... ordinária... vamo embora, mostra pra mim juntinho, Vamo embora!”
É o tchan !! Atóron !!!

20 de fev de 2011

Casal Gay do Rio espera filho de Barriga de Aluguel

Do Jornal O Dia
Rio já tem casal gay na espera para barriga de aluguel
Um mês após resolução que liberou a reprodução assistida para homossexuais, cresce procura em clínicas de fertilização
POR BEATRIZ SALOMÃO
Rio - O Rio já tem o primeiro casal de homens à espera para concretizar o sonho da paternidade por meio da reprodução assistida. O processo corre, em sigilo, no Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj) e será analisado na próxima terça-feira. Um mês após a resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) que regulamenta a prática, clínicas de fertilização registraram aumento de homossexuais procurando o serviço.
Na Pró-Nascer, na Barra da Tijuca, um casal gay já marcou consulta para se submeter ao método e, segundo o dono, João Ricardo Auler, cerca de 20 entram em contato mensalmente. Este ano, a Bebê de Proveta já recebeu e-mail de dois casais interessados. Em 2010, a clínica não fez nenhum registro.
Norma do CFM, publicada em 6 de janeiro no Diário Oficial da União, autoriza casal de homens a recorrer à ‘barriga de aluguel’ após aprovação do Conselho Regional de Medicina (CRM) — que avalia qualidade da clínica, estabilidade do relacionamento e legalidade do procedimento. O processo de validação dura, em média, uma semana e, se for negado, o casal pode recorrer ao CFM.
Carlos vive há 19 anos com o companheiro, e há 5 o casal tentou, sem sucesso, a fertilização artificial com uma amiga. A nova norma do Conselho encoraja os dois, que não desistiram do sonho da paternidade. Carlos questiona a necessidade de envolver uma parente na inseminação, já que há casais que sofrem preconceito da família | Foto: Carlo Wrede / Agência O Dia
Segundo Valdemar Amaral, presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana e um dos médicos que elaborou a norma, óvulo desconhecido e útero familiar são práticas para evitar que a mulher exija a guarda da criança. Para ele, a medida é um avanço inédito que vai nortear o trabalho de médicos. “Muitos não sabiam o que fazer e negavam os pedidos dos gays. A sociedade mudou em relação a casos homoafetivos e não podemos negar esse direito”, disse, acrescentando que, se não há parente mulher, o casal pode pedir recurso e tentar usar o útero de uma amiga ou conhecida.
Vivendo com o companheiro há 19 anos, o advogado Carlos Alexandre Lima, 48, quer um herdeiro. Há cinco anos, o casal tentou a fertilização artificial com uma amiga homossexual, mas, por um problema de saúde dela, o método não foi adiante. O sonho da paternidade, porém, permanece. Carlos considera a nova norma um avanço, mas questiona a necessidade de envolver um parente. Ele defende que há casais que não têm parente mulher ou sofrem preconceito em casa.
“Acho a adoção um processo lindo que deve ser estimulado, mas quero uma continuidade de mim, alguém com minha carga genética. A família fica completa com um filho”, declara. Carlos será o doador do sêmen, e o casal ainda procura uma mulher que possa gerar a criança. Mas já começa a planejar e se preocupar com a educação do futuro filho. Apesar de não ter preferência pelo sexo do bebê, ele acredita que uma menina sofreria menos preconceito da sociedade. “Teria medo no dia em que meu filho ou filha ficasse doente. Sempre que fiquei doente era uma figura feminina que cuidava de mim”, confessa.
Método para ter filho ainda gera polêmica
No Natal do ano passado, o cantor Elton John e o companheiro, David Furnish, tornaram-se pais de um bebê gerado com a ajuda de uma barriga de aluguel. A criança do sexo masculino nasceu com 3,6 quilos e foi batizado com o nome de Zachary Jackson Sevon Furnish-John. Elton John e David Furnish não sabem qual dos dois é pai biológico do pequeno, pois ambos forneceram sêmen.
Na fila para adotar dois irmãos órfãos de pai e mãe, Bruno Chateaubriand, unido há 12 anos a André Ramos, é contrário à barriga de aluguel. Ele classifica a prática como ‘brincar de Deus’ e acha injusto privar a criança do contato materno. “Não condeno quem quer fazer, mas acho que há muitas crianças para serem adotadas no Brasil”, argumenta. Bruno e André pediram duas crianças com menos de 3 anos e irmãos entre si. “Quero órfão para meus filhos não ficarem na busca de quem são os pais genéticos e ficarem com esse vazio se não encontrarem”, justifica.

Na vida real carioca ou na ficção hollywoodiana, a nova família chegou

A nova família, com pais homossexuais, ganhou as telas de cinema e os tapetes vermelhos de Hollywood. O filme ‘Minhas Mães e Meu Pai’, da diretora Lisa Cholodenko, conta a história do casal Jules (Julianne Moore) e Nic (Annette Bening) que recorreu à inseminação artificial de doador anônimo para ter os filhos Joni (Mia Wasikowaska) e Laser (Josh Hutcherson). A produção concorre a quatro estatuetas: melhor filme, melhor atriz (Annette Bening), melhor ator coadjuvante (Mark Ruffalo) e melhor roteiro original.
Na ficção, a pedido do irmão, a irmã mais velha decide procurar o doador do sêmen que gerou os dois. A descoberta de quem foi o doador muda o rumo de todos. Na vida real, no Rio, uma advogada de 37 e uma psiquiatra de 35, que pediram para não serem identificadas, também têm dois filhos concebidos por inseminação artificial.
Após processo judicial, elas conseguiram o direito de registrar as crianças, de 8 e 2 anos, com o nome das duas. A psiquiatra conta que escolheu o ‘perfil’ dos doadores do sêmen ( é proibido conhecer a identidade). Um deles era químico e o outro, empresário. Uma das exigências era não ter doenças renais. “As pessoas pensam que por ser homossexual, os sonhos precisam ser abandonados. Foi tudo natural com a gente”, diz a psiquiatra.
Além da inseminação artificial com doador anônimo, lésbicas podem doar o óvulo e recorrer à barriga de aluguel com parentes até segundo grau.

19 de fev de 2011

“se você é mulher, homem, cachorro ou qualquer coisa, eu vou amá-la pelo que você é”, diz pai à Transexual Lea T.

 

Deu no GNT

Lea T. abre o jogo e fala sobre mudança de sexo, família e carreira no The Oprah Winfrey Show

lea-t-620
Muito se falou sobre o contrato de exclusividade da modelo transexual Lea T. com a apresentadora Oprah Winfrey e ontem, após longa espera, a entrevista foi ao ar nos Estados Unidos. No papo franco, a brasileira, filha do ex-futebolista Toninho Cerezo, falou abertamente sobre sexualidade, discriminação e carreira. Atualmente, Lea, que mora na Itália, aguarda autorização judicial para realizar a cirurgia de mudança de sexo.
“Eu gostaria de poder aceitar meu corpo como o de um homem. Acho que minha vida seria muito mais fácil e seria menos doloroso para minha família... Mas é algo dentro do meu cérebro. Medicamente, é um transtorno. Eu tentei viver como um gay, como todo transexual tenta, porque é mais fácil, mas no fim das contas, quando você vai ao médico, vê que não tem homossexualidade alguma. Seu cérebro é como se fosse o de uma mulher. Quando se é transexual, você se sente realmente uma mulher. E eu gosto de homens”, disse Lea.

À Oprah, Lea negou os rumores de que seu pai a teria renegado por conta de sua sexualidade. “Meu pai disse ‘se você é mulher, homem, cachorro ou qualquer coisa, eu vou amá-la pelo que você é’”, disse. A modelo contou que, após vê-la na passarela de Alexandre Herchcovitch no São Paulo Fashion Week no mês passado, Toninho Cerezo disse: “agora posso morrer feliz, estou muito orgulhoso”. Já sua mãe não reagiu tão bem à sua transformação, postura que Lea atribui ao catolicismo fervoroso. “É uma luta com a religião dela. Mas ela é sempre legal comigo”, disse.

Sem cerimônia, Oprah perguntou como Lea faz para esconder seu pênis nos ensaios fotográficos. Com bom humor, a modelo respondeu: “Todo mundo me pergunta isso, especialmente os homens com quem trabalho. É meio desconfortável, tenho que colocar o pênis para trás e usar calcinhas bem pequenas. É bem chato, principalmente quando me sento.”

Assista ao vídeo abaixo (em inglês).

No Brasil, o programa vai ao ar no GNT nas seguintes datas:,
Quinta-feira (24/02), às 23h e Sexta-feira (25/02), às 17h

Deu no GNT

 

18 de fev de 2011

Confissões de um Blogayro #1

Ai amigues, muito trabalho, viu! Sobra poucoh tempo para atusalishar o blog...
Foi mal mona...
Nhái, preciso de ashjuda sabe... Também preciso de aqué no bolso e de  um Cafú Mara (mas serve um Boy Magia!)! Alguéin aí se candjidata?

Ai, mas enquanto num vem, agente rí um pouco néah...
Afinal, a única gahfe imperdoável é o mau-humor!


Vai Serginho!

16 de fev de 2011

se a planície eh rosa, pq o blog eh azul?

Aiinnnhê, naum me gonga não, viu! A Planície é rosa, num sentchido metafórico, figurado (falei bonito viu, sou phyna!).

O bluóg ainteior era todo rosa, mas as amigues reclamavam que era dificil de ler, então escolhi esse azul bebê, e esse conjunto de cores "so cute" e esse fuondo branco basicão.

Asseeem, muito meigo, não é?

Aliás, desde Nahim, Campos não mais tão Rosinha assim, néah... E como ainda periga Rosinha saír de novo, já imaginou a trabalheira de mudar tudo com o riscooo de que nossa múosa se despedir também?


 "- Se mudo de nome, mudo de aliados, mudo de partido, mudo de religião, por que o blog em minha homenági num pode muodar de cor. E se votar diferente Garotinho já disse pra demitir todas guei DAS que o Deputado colocou na prefeitura", retruca Rosinha

"-  Essa mudança de cor é traição, perseguição, se Deus quisesse essas coisas teria feito Adão e Ivo", afirma Garotinho em Comício no início de 2010.

" - Sou independente do meu pai, por exemplo, eu mesma escolhi as cores de minha campanha" responde a amadurecida Clarissa em entrevista à Folha da Manhã, (acreditem, ela disse isso mesmo!).

" Onde está a PM para dar uns cacetes quando precisamos dela?" Reclama Alckimin, no momento da foto.

15 de fev de 2011

formspring.me

Me pergunte qualquer coisa! http://formspring.me/Gayrrison

Existe algum local ou grupo em campos que se encontra para uma suruba ou orgia discreta?

Uia, tá pensando que bessha é bagoooonça!? Tá procooorando Sooooroooba!

Aqui, esse é um blog de fameeelia, viu!? Rs...

Mas mona, brincadeiras à parte, se existir um local ou grupo, deve ser deeeshcretísseeemo, viu? Por que tchipo, não tá faltando candchidatosh, voluntcháriosh, gente dada, kengas e piriguetes em geral...

Jah imaginou, uma maçonaria da sooooroba? Os rosa-cruzes da sacanagem? A gnose do edi!

Sentchiu a vibe " de olhos bem fechados"?

Se souber de algoooma coisa me diz, viu!?

Beijo grego pra você

13 de fev de 2011

Detectores de gays para smartphones

Rastreado pelo “gaydar”
Como funcionam os aplicativos que transformam o celular em um detector de gays capaz de informar a localização exata de possíveis parceiros
Carlos Giffoni
Rogério Cassimiro
DIRETO AO PONTO
Rafael Bianchini usa o aplicativo Grindr, que permite trocar mensagem e localizar gays que estejam nas proximidades
Diz a lenda que um gay é capaz de identificar outro a quilômetros de distância. Para isso, basta seguir seu “gaydar”, expressão que significa “radar para gays” e costuma ser usada para identificar a capacidade de uma pessoa em apontar se outra é ou não homossexual. Evidentemente, o “gaydar” não tem nada de científico. Ele se baseia apenas em impressões. Pois isso está mudando. Nos últimos meses, uma onda de aplicativos para iPhone, iPad e iPod touch passou a oferecer acesso a redes sociais gays usando a ferramenta que faltava para o gaydar definitivo: o GPS. Mas como o sistema de geoposicionamento via satélite ajuda a localizar os gays que estão nas redondezas?
Primeiro, é preciso se cadastrar na rede social destinada a quem é gay, bissexual, ou, no mínimo, curioso. A rede exibe as informações básicas de cada usuário, com nome, foto, idade, medidas e uma breve descrição pessoal. Uma vez que o usuário é cadastrado, seu celular passa a fornecer os dados sobre sua localização, em tempo real, para outros membros da rede. A informação é obtida pelo GPS do celular e fica disponível para todos os usuários. O dispositivo até apita! O sinal sonoro serve para avisar que chegou uma mensagem. Se a foto do remetente despertar o interesse, o passo seguinte é iniciar uma conversa. Dependendo do apetite sexual de ambos, é possível que acordem juntos no dia seguinte.
É claro que nem todo encontro que começa com apito no celular precisa ir até as últimas consequências. Algumas amizades também podem surgir. Os perfis são organizados a partir da pessoa que está mais perto até o mais distante. Nos chats (salas de bate-papo que funcionam dentro do aplicativo), é possível trocar fotos com privacidade. O Purpll permite entrar em salas com temas específicos, como “jovens” e “travestis”. O Qrushr tem uma versão só para lésbicas – sem grande adesão. Os aplicativos podem ser baixados gratuitamente, embora alguns tenham versões pagas. O de maior sucesso é o Grindr, que acaba de lançar sua versão também para BlackBerry. Unanimidade entre os gays, ele foi lançado em março de 2009 e baixado por 1,3 milhão de pessoas em 180 países, incluindo Albânia, Quirguistão, Cuba e até o Irã, onde, segundo o presidente, Mahmoud Ahmadinejad, não existem gays. Nos Estados Unidos, recordista em usuários, eles já são quase 600 mil.
No Brasil, o alcance ainda é pequeno: pouco mais de 13 mil usuários estão cadastrados – quase a metade na cidade de São Paulo. “Ele é ótimo porque você pode ir para qualquer grande cidade do mundo e encontrar gays locais sem dificuldade”, diz Joel Simkhai, criador do aplicativo. “Todas as pessoas têm conexões perdidas, como o cara que vive em seu prédio e você nunca conheceu.” É aí que os gaydares como o Grindr encurtam o caminho.
O economista Rafael Bianchini, de 28 anos, conheceu uma dezena de pessoas em menos de três meses usando o Grindr. Embora afirme que procurar sexo não seja sua prioridade, Bianchini sabe quais são as intenções das pessoas com quem conversa: “Estou ali para encontrar as pessoas, e não para fazer amigos”. Para Diego Bernadinelli, analista de sistemas, o aplicativo foi ainda mais útil: “Não há gays nos lugares que frequento”. Em cinco meses, ele saiu com 15 pessoas e mantém contato com pelo menos dez.
Por enquanto, o público homossexual masculino domina os aplicativos. “Os homens são mais abertos a conhecer parceiros on-line e sempre foram os primeiros a abraçar as oportunidades que as novas tecnologias trazem na busca de relacionamentos”, diz Simkhai. O criador do Grindr afirma que uma versão para o público heterossexual está sendo desenvolvida. “Nosso desafio é disponibilizá-lo para todos os públicos: homens, mulheres, heterossexuais ou gays, em qualquer lugar do mundo”, afirma. Gabriela Damasceno é lésbica, tem o Qrushr Girls e diz que o aplicativo ajuda mais a fazer amigas do que a encontrar parceiras. “Os homens vão mais atrás de sexo do que a mulher. Nós buscamos conhecer a pessoa.”
Seja por meio do Grindr, do Purpll, do Qrushr, o público gay não perde tempo. Então, cuidado: se por acaso essa for sua opção sexual e você prefere manter-se no anonimato, você pode estar sendo rastreado pelo GPS gay.
   Reprodução


Amigues, ainda bem que isso não vem com alarme! Senão ele ia disparar enlouqueceeeedamente toda que eu fosse no bar do Marquinhos, no Pistolinha, no MamaZap e em outros lougares friendlys desta planície!
Bem, eu ainda sou do tempo em que essas coisas a gente identifica só por aquela pinta básica… mas enfim, é a modernidade, os novos tempos!

Como faço para meu cú ficar limpo?Gosto muito de lamber um cuzinho!


Como asseeeemmm?? Você quer deishar limpinho pra você meshma lamber!?
Autocunete? Self Greek Kiss? EIKE tudo! Autonomia, independência, é isso aí ameega!

Depois que me diz que Yoga/Pilates/kamasutra Maravilhuoso é esse que você faz, quero ficar asseem, mais elashticooo e alongado que meu edi!

Mas enfim, manter-se limpinha e sempre pronta pra consumo é uma Arte!

A gente já deu as dicas aqui, viu! Confira os seguintes links:


Como fazer a chuca perfeita:
http://camposdosgaytacazes.blogspot.com/2010/09/manual-da-chuca-perfeita.html

Como tratar a máquina de fazer churros:
http://camposdosgaytacazes.blogspot.com/2010/10/desculpe-meu-bem-digitei-o-enter-sem.html

Mais sobre a choooka:
http://camposdosgaytacazes.blogspot.com/2010/10/meu-bem-pergunta-era-se-devemos-fazer.html

11 de fev de 2011

Furinga: "estão passando dos limites"

Ai, gente, joooorou pra vocês que se tem uma coisa que ainda não descobri, é; "afinal pra que serve uma câmara de vereadores?"
Quanto mais eu tento acompanhar, mais eu chego a conclusão de que uma Cãmara de Vereadores só serve pra nos fazer rir (e para rirem da nossa cara, também, néah!)...

Olha a manchete da Câmara de Quissa... what?



Passar dos limites do Furinga não podche, é eshtrupo! Quer passar pelo furinga, me beishja então, tah!

Agora, amigues, é impressão minha ou o apostolado da Lapa já pescou o Ururau tb? Não podchi, chama o Ibama!

8 de fev de 2011

E aí Mona? Pesquisador afirma que Monalisa era homem afeminado.

Agora seeeem, agora sabemos de onde vem a gíria "mona"! 


03/02/2011 - 12h28
Por : Hélio Filho
Monalisa é homem afeminado, diz especialista em arte Especialista diz que Monalisa foi pintada com homem afeminado como modelo

Ela seria ele
Reprodução

Ela seria ele.
 O especialista italiano em arte Silvano Vincetti, chefe do Comitê Italiano da Herança Cultural, abalou as estruturas do mundo da arte ao afirmar nesta semana que a Monalisa era homem, e não a tão misteriosa mulher (que alguns dizem que estaria até grávida no momento da pintura do quadro). Silvano diz com certeza que Monalisa é Gian Giacomo Caprotti, que também era conhecido como Salai, e não Lisa Gheradini, mulher de um mercador de seda.

Gian e Leonardo Da Vinci, autor do quadro, trabalharam juntos por 25 anos. O mestre da pintura teria aproveitado que o jovem discípulo era afeminado e o usou como modelo para sua obra-prima. Ainda segundo Vinceti, a relação entre Salai e Da Vinci era “ambígua” e ele teria posado também para quadros como São João Batista e Anjo Encarnado.

O especialista chegou à conclusão depois de supostamente ter descoberto no quadro as letras L (Leonardo) e S (Salai), mas os especialistas do museu do Louvre, em Paris, onde o quadro está exposto, dizem que as letras não existem e não querem ver prova alguma dessa teoria. 
  
Povo Babadeiro, não é nenhuma novidade que Leonardo da Vinci era gay, né. Se você não sabia, sorry, SÓ você não sabia, rs...

O que quero saber de vocês é o seguinte:

De que ri a Monalisa?


5 de fev de 2011

Eu não quero voltar sozinho

Curta metragem, super premiado, narra a descoberta do amor de um adolescente cego por seu colega de classe. Assistam, sem preconceitos. Ah, e sem o trocadilho de que “o amor é cego”, viu!?
Abaixo a lista de festivais em que este filme foi premiado
3º Festival Paulínia de Cinema
  • Prêmio: Troféu Menina de Ouro de Melhor Filme de Curta Metragem - Juri Oficial
    Prêmio: Troféu Menina de Ouro de Melhor Filme de Curta Metragem - Juri Popular
    Prêmio: Troféu Menina de Ouro de Melhor Filme de Curta Metragem - Prêmio da Crítica
    Prêmio: Troféu Menina de Ouro de Melhor Roteiro
Festival Internacional de curtas-metragens de São Paulo
  • Prêmio: Troféu Coelho de Prata - Mix Brasil
    Selecionado entre os 10 filmes mais votados pelo público
Entretodos 3 - Festival de Curtas de Direitos Humanos
  • Prêmio: Melhor Roteiro
Festival do Rio 2010
10ª Goiânia Mostra Curtas
  • Menção Honrosa
CineBH
Close - Festival da Diversidade Sexual
  • Melhor Filme Juri Popular
    Melhor Filme Juri Oficial
    Melhor Ator - Ghilherme Lobo
    Melhor Atriz - Tess Amorim
    Melhor Direção de Arte
    Melhor Fotografia
    Melhor Roteiro
17º Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá
  • Melhor Filme Júri Popular
    Melhor Direção
Curta Cinema 2010
9º Festival Nacional de Cinema de Varginha
  • ET de Prata - Melhor Direção
7º Amazonas Film Festival
5º Mostra Cinema e Direitos Humanos na America do Sul
1º FestZoom – Festival de Audiovisual para Jovens
18º Mix Brasil
  • Coelho de Ouro - Melhor Curta Nacional
    Coelho de Prata - Melhor Interpretação - Ghilherme Lobo
    Coelho de Prata - Melhor Roteiro
4º For Rainbow - Festival de Cinema e Cultura da Diversidade
  • Melhor Direção
    Melhor Fotografia
4º Festival Internacional de Cinema de Itu
  • Melhor Roteiro
4º Cine MuBE - Vitrine Independente
Curta Cine Malagueta – 2° Festival Nacional Curtas-Metragens de Rondonópolis
  • Melhor Filme - Mostra Nacional
17º Vitória Cine Vídeo
  • Melhor Roteiro
6º Fest Aruanda
  • Melhor Curta Nacional - Juri Popular
II Curta Carajás
  • Menção Honrosa

4 de fev de 2011

Marta Suplicy desarquiva projeto de lei de combate à Homofobia

untitled
Salve Martinha! A senadorado PT, que é pioneira na defesa dos direitos de gays e lésbicas, mostra seu compromisso com as causas LBGT.
O Projeto de lei que tinha sido arquivado, como mencionamos anteriormente aqui no blog, foi desarquivado pela Senadora Marta Suplicy que, em seu primeiro ato no cargo, conseguiu as 27 assinaturas necessárias ao desarquivamento.

Marta consegue apoio para projeto que torna atos homofóbicos crime

Vice-presidente do Senado, petista consegue apoio para desarquivar PLC 122
Por UOL
Sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011
O primeiro ato da Senadora Marta Suplicy no Senado foi conseguir as 27 assinaturas necessárias para desengavetar o PLC 122, projeto de lei que quando aprovado tornará crime atos homofóbicos e discriminatórios contra homossexuais no Brasil. O PLC 122 foi arquivado no dia 02 de janeiro pelo regimento do Senado, que obriga o aquivamento de todo projeto de lei que já tramite por oito anos sem ter sido votado em plenário.
O PLC 122 encontra forte resistência dos setores evangélicos do Senado e Câmara dos Deputados. Além das 27 assinaturas, é necessário que o PLC 122 ganhe nova relatoria, já que Fatima Cleide, que era a relatora do Projeto de Lei, não foi reeleita. Marta vai assumir essa função. Estes atos eram promessa de Marta.
Toda rápida, Marta Suplicy já conseguiu o número mínimo necessário de assinaturas para desarquivar o projeto. Ela teria 30 dias, segundo o regimento da casa, mas conseguiu todas as assinaturas em apenas um dia. Na noite desta quinta-feira, 3, ela apresentou as assinaturas para a Mesa diretora e pediu seu desarquivamento.
Próximo passo
Eleita vice-presidente da casa, Marta disse que a discussão sobre essa lei será feita "sem pressa e com amplo espaço para o contraditório. Marta, que mal assumiu seu cargo no Senado já anunciou que estaria disposta a assumir a relatoria do PLC 122, justificou a importância do texto. Segundo ela, a questão é "proteger uma parcela da população que vive sob ameaça".
Uma vez desarquivado, o projeto volta para a Comissão de Direitos Humanos do Senado, onde tramitava antes de ir para a gaveta. Caso aprovado, ele segue para a Comissão de Constituição e Justiça antes de ser submetido à votação em plenário.

3 de fev de 2011

Diversidade católica, é possivel ser católico e gay?

É possivel que gays vivam a relogiosidade em sua plenitude? O pessoal do site e do Blog Diversidade Católica Apostam que sim.
De fato, Igrejas importantes como a Igreja Anglicana já afirmam essa possibilidade e incluem gays e lésbicas sem problemas.
E aqui, será que isso possivel?
diversidade
Vale a pena conferir o site o blog http://diversidadecatolica.blogspot.com/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...