29 de nov de 2010

Casas Populares para GAYS !


 
do  lost und found in translation


Num primeiro instante, achei óonn: primeiro condomínio fechado da casas populares GLS em Suzano (Mas nao teria mais mercado em Campinas, hein?). Aí, a reflexão: árvores de amora e ameixa em frente a cada casa, why?! Mais gay do que isso só plantando... lichia e pitaya! Acharia digno! Depois, a revolta: porra, 48,50m²?! Sacanagy com as bees: onde vai ter espaco para os boxes com as temporadas completas que todo viado tem que ter (you know, the essentials: Sex and the City para os momentos buaaaaá-eu-vi-ele-beijando-aquela-bicha-uó-no-cantinho-da-buati, Queers as Folk para se inspirar no Brian antes de cair no perigón, Will&Grace para assistir junto com a amiga fag hag...)?! E os poodles? (apesar de que poodle is so 1998: golden retriever parece ser o new gay dog, néam? Acho escroto: poodle É gay por essencia - afinal dá para imaginar o conceito de poodle macho? Golden retriever é simplesmente hetero demais... Poodle é Priscilla The Queen of Desert. O máximo que um golden retriever consegue ser... é Brokeback Mountain, e olhe lá!). E por último, invejinha business: no dia em que puder assinar profissionalmente o meu nome no estilao que Douglas Drumond  fez (com direito a fundo com fotinho tipo business bitch), cheguei no topo.

Acho o conceito do produto válido. Afinal todo mundo sempre fala de mercado gay, pink money... mas alguém já tinha visto mesmo uma aplicacao prática desse conceito? Quase sempre fica naqueles produtos voltados para o ideal do Viado Personnalité (you know: viado tipo Anderson Cooper, advogado/publicitário/analista, 30-40 anos, morador dos Jardins em SP/ Ipanema-Leblon no Rio, viaja ao exterior 3 ou 4 vezes por ano, com ao menos uma camisa Abercombrie&Fitch no guarda-roupa, tem/teve/ja pensou em ter um Fiat Stilo na garagem...), o que assume proporcoes ainda mais surreais e fora-da-realidade em uma sociedade desigual e em desenvolvimento como a nossa. Qual a porcentagem de gays que efetivamente podem ser considerados como público-alvo de produtos como "cruzeiro gay" ou "cartao-VIP-de-loja-de-grife-que-todas-as-bees-adoram"? E o pessoal que fica de fora dessa classificacao: é ou nao é um mercado pedindo para ser explorado?


But at the same time... condomínio fechado GLS? É isso que a gente quer mesmo?

Complicado...

27 de nov de 2010

Ti-Ti-Ti! Gays na Novela !

<object width="480" height="385"><param name="movie" value="http://www.youtube.com/v/M1vpiKbWlKc&hl=pt_BR&fs=1"></param><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowscriptaccess" value="always"></param><embed src="http://www.youtube.com/v/M1vpiKbWlKc&hl=pt_BR&fs=1" type="application/x-shockwave-flash" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true" width="480" height="385"></embed></object>

Gente, que LOVE !!! Coisa linda ! Amei !

23 de nov de 2010

Beleza, é FESTA!

DIA 27 DE NOVEMBRO A REVERSE PARTY VEM DETONANDO NO HIPODROMO DO JOCKEY CLUBE DE CAMPOS ...
REVERSE_PARTY_NOVEMBRO_27














JA ESTÃO À VENDA INGRESSOS EM CLAUDIO CABELEREIRO NO OUVIDOR PLAY CENTER...
A NOITE DO DIA 27 SERA TUDO DE BOM,  SERÃO 2 AMBIENTES DE PURO PRAZER PARA TODOS OS GOSTOS: NO TERREO O GRUPO 100%DIFERENTE MANDANDO VER NO PAGODE E SAMBA! E NO SALAO NOBRE DO JOCKEY CLUBE OS MELHORES DJ'S DETONANDO AS MELHORES BALADAS ATE O AMANHECER.

NAO FIQUE FORA DESSA POIS A FESTA PROMETE!

21 de nov de 2010

Estudo relaciona HOMOFOBIA à HOMOSSEXUALIDADE REPRIMIDA.

Bem, eu sempre disse prazamiga: “Todo ódio extremo esconde secretas afinidades”
Afinal, quem está seguro quanto à sua orientação sexual não tem nenhum motivo para se sentir ameaçado pela orientação sexual alheia.
Então o comportamento homofóbico, como mostra o estudo abaixo, está relacionado às dificuldades de aceitação da própria sexualidade, dos próprios desejos. Quem não está satisfeito com sua vida sexual e vive se reprimindo, não consegue aceitar quem vive bem com sua sexualidade.

Video mostra a verdade sobre a agressão sofrida por gays na Av. Paulista.

Vejam só a que ponto chegamos: gays são agredidos na rua, os responsáveis são presos, e como justificativa para a agressão afirmam que só agrediram por que teriam sido paquerados pelos gays. É o velho recurso de por a culpa na vítima.
Isto é um absurdo por dois motivos: 1º – Mesmo que fosse verdade, jamais justificaria qualquer tipo de agressão. 2º – É pura mentira! É o que pode ser verificado do vídeo retirado de uma câmera de segurança.

18 de nov de 2010

Aos que são do contra: o casamento gay e outras merdas…

Hi Honey! Segue aqui um vídeo impagável, hilário, da comediante americana Wanda Sykes… confiram!

Saindo do armário cedo!

Gente, uma boa notícia!

As amigues já não esperam dar mofo e bolor dentro armário para sair de dentro dele. Gays se assumem cada vez mais cedo. Particularmente acho isso ótimo, significa que a pessoa passa a conviver melhor com sua sexualidade e não passa anos à fio negando sua sexualidade!

do Cena G
17/11/2010
Segundo pesquisa, gays e lésbicas estão se assumindo mais cedo

Uma pesquisa realizada pela fundação britânica Stonewall constatou que a idade média para gays e lésbicas se assumirem caiu drasticamente nos últimos 20 anos.

Enquanto a idade média em que pessoas com 60 anos saíram do armário é de 37 anos, esse número cai para 21 quando a faixa etária passa para os “trintões” e para 15 quando se trata dos jovens de 20 anos.

Para Ruth Hunt, coordenadora da pesquisa, que contou com a participação de 1536 pessoas ao redor do mundo, o estudo mostra uma tendência encorajadora àqueles que ainda tem medo de se assumir.

Aproveitando o momento de discussão mundial do bullying, Hunt destacou a importância da escola na luta contra o preconceito.

16 de nov de 2010

Veado é cagão?

Do Blog do Favre

ELIANE TRINDADE – FOLHA SP

DE SÃO PAULO

Militante dos diretos dos homossexuais, o escritor João Silvério Trevisan, 66, credita os recorrentes episódios de homofobia a uma ideologia de que “veado é para matar”.

Folha – Como se explicam episódios recorrentes de homofobia em meio a avanços de direitos dos homossexuais?
João Silvério Trevisan –
Há um descompasso entre o que é prometido por leis ou por políticas públicas e o que, de fato, acontece.

Qual é a consequência?Não por acaso, temos a maior parada gay do planeta, em São Paulo, e convivemos com esse tipo de atitude de pessoas que se julgam impunes e pensam: “veado” é para matar. É o subtexto.

Os homossexuais reagem?Há uma profunda despolitização da sociedade homossexual quanto aos seus direitos. A comunidade gay tem dificuldade para reagir. É assustadora a maneira como as pessoas fogem, como se aceitassem que merecem ser punidas por serem homossexuais. É um outro lado muito triste dessas agressões. A reação está à altura daquilo que os atacantes esperam: ou seja, que “veado” é “cagão”.

15 de nov de 2010

GlOSS… ario

Aeh, aposto que NINGUÉM ia imaginar que  uma instituição de ensino CATÓLICA, isso mesmo, CATÓLICA, ia produzir um vídeo desses !!!!!
LUSHO, BAFHO, DYGNO !

13 de nov de 2010

DENÚNCIA: Motel de Campos discrimina gays!


Maçaneta

Bem, amigos, somos cidadãos, trabalhamos, pagamos nossos impostos, votamos, não agredimos nem ofendemos ninguém, apenas queremos ser respeitados por aquilos que somos e é inaceitável que nos tratem como cidadãos de segunda categoria!
Mas, infelizmente, recebi hoje, aqui nos comentários do post anterior deste blog, uma reclamação de um fato que parece ser coisa do século passado! Leiam:
Vou escrever aqui a minha indignação e um caso no mínimo constrangedor, eu e meu namorado, resolvemos ir a um motel, e resolvemos bater ponto no de sempre, o alcazar, sim vou falar o nome. Chegando lá, achei a recepção do cara um pouco estranha, olhou bem dentro do carro e em seguida saiu da cabine pra me dar o seguinte recado, " o patrão não está mais aceitando a entrada de dois raSpazes"- sim ele falou assim, fiquei sem reação na hora, e ele pediu desculpa. Não quis discutir com ele ou saber o motivo, pois percebi que o cara não tinha a manha com as palavras. Gostaria de saber se alguém tem ideia do que aconteceu lá dentro, pra eles proibirem de uma hora pra outra, ou se o dono está realmente com preconceito. O último lugar que eu pensava em ser recriminado era na entrada de um motel. Depois disso, rimos da situação, mas mesmo assim.. bastante desagradável!
Eu mesmo já fui a esse motel e nunca passei por isso, mas se os donos do motel decidiram mudar de atitude isso é deplorável! Um retrocesso!
Mas me permita discordar de uma coisa: Você pergunta se alguém tem idéia do aconteceu lá dentro, mas, a verdade é que, neste caso, pouco importa o que possa ter acontecido lá dentro.  Tenho certeza que não deve ter acontecido nada que não aconteça também com casais heteros. Enfim, de um jeito ou de outro é preconceito puro.
Aí vem aquelas pessoas com um papo: “Eu respeito gays, não sou preconceituoso, mas tenho o direito de não querê-los perto de mim”. Aff... É rigorosamente a mesma coisa que acontecia com Negros antes de criminalizarem o racismo!! É preconceito puro, na veia. E o preconceito em sua versão mais forte, nunca é visto como tal por quem discrimina.
Agora, queridos, se isso aconteceu com vocês, tenham ciência de que vocês tiveram seus direitos violados  e existe uma lei no Estado do Rio de janeiro, que pune com multas e outras penalidades estabelecimentos que discriminam gays.
Não se esqueçam, denunciem!
Disque Cidadania LBT – Tel.: 0800 0234567, 24 horas por dia, para denúncias e atendimento às vítimas de violência e discriminação. (leia mais)

Giane gosta de que?

Menina, o bafho da semana foi o Giane fazendo propaganda pra Pintos!
Gianecchini assume do que gosta: Pintos (http://camposdosgaytacazes.blogspot.com/2010/11/gianecchini-assume-do-que-gosta-pintos.html)

12 de nov de 2010

Transexual concorre à vaga de ministra do Supremo Tribunal - Asho Dygno!

Infelizmente miguxas, é no Supremo Tribunal da Venezuela. Jah imaginou fosse aqui, babadão, Bafão total!

Gente, agora, sente o poder da mona! Advogada, Doutora em Direito pela Universidade Paris,  e professora universitária! Morri! É muito  LOOOSSSHHOO!

Amei! Mega, maxi, hiper DYGNO!


Deu no G1

Advogada transexual tenta uma vaga em tribunal máximo da Venezuela

Tamara Adrián chegou à terceira etapa de seleção para 19 vagas do TSJ.
Transexuais são vulneráveis em seu país como são no Brasil, disse ao G1.

Amauri Arrais Do G1, em São Paulo
Tamara Adrián, de 56 anos, é advogada com doutorado na universidade francesa de Paris II e professora há quase 30 anos das duas principais universidades da Venezuela. A candidatura dela a uma das cadeiras do Tribunal Supremo de Justiça, a mais alta corte do país, não seria nenhuma surpresa, não fosse ela transexual e lésbica.

Para a advogada, também ativista de direitos humanos, sua candidatura propõe ao tribunal um “dilema”. “Se usassem critérios absolutamente objetivos, eu poderia ser qualificada”, diz. Mas ela acredita que as chances são mínimas, diante de uma Assembleia Nacional que qualifica de “homolesbotransfóbica” e sua postura “politicamente independente”.
A advogada e professora venezuelana Tamara Adrián no seu escritório, em Caracas 
A advogada e professora venezuelana Tamara Adrián no seu escritório, em Caracas (Foto: Arquivo pessoal)


“Nunca fiz parte de partido político, sou uma pessoa de esquerda de formação, creio na liberdade humana e defendo os direitos humanos. Em consequência, não estou dentro do perfil que se quer ter no tribunal supremo, que é evidentemente de pessoas submissas”, disse ao G1.
Não me sinto muito diferente do que sempre fui. Não foi um processo fácil, mas nada é fácil quando se vai contra a corrente hegemônica em qualquer âmbito da vida"
Tamara Adrián, advogada e professora transexual
A advogada é um dos 404 candidatos que postulam uma das 9 novas vagas de titulares e 32 suplentes no STJ (equivalente ao STF brasileiro) para um período de 12 anos. Feita a pré-seleção pelo tribunal, os candidatos serão designados pela Assembleia Nacional, de maioria chavista, até o próximo dia 20.

“A seleção é fechada, não sei como são os critérios. Não é um processo aberto, transparente, público”, reclama Tamara, que chegou à terceira etapa do processo, de entrevistas.

A cirurgia para mudança de sexo, não permitida na Venezuela, ocorreu há “três ou quatro anos”, desconversa a advogada, que considera ser mais importante usar as palavras “transexual” e “lésbica” como categorias políticas para reivindicação de direitos. “Não me sinto muito diferente do que sempre fui. Não foi um processo fácil, mas nada é fácil quando se vai contra a corrente hegemônica em qualquer âmbito da vida.”

No dia-a-dia, diz não sofrer mais preconceito. “Na verdade, o respaldo que tenho hoje não é somente de pessoas lésbicas, gays e transexuais, mas da comunidade de advogados e da comunidade em geral que me vê como alguém fiel a seus pensamentos e suficientemente independente para me realizar como pessoa”, afirma.
A advogada durante condecoração por seu trabalho em defesa dos direitos humanos 
A advogada durante condecoração por seu trabalho em defesa dos
direitos humanos (Foto: Arquivo pessoal)
Ela reconhece, no entanto, que esta não é a situação da maioria das pessoas que se submetem à mudança de sexo, sobretudo no país em que, afirma, “não existe nenhuma forma de reconhecimento de identidade das pessoas transexuais”.

Na Venezuela, é possível trocar o nome na cédula de identidade, mas o documento anterior não é anulado e deve ser exibido ao lado do novo. Além disso, documentos anteriores à mudança de gênero, como diplomas e outros títulos, permanecem com o antigo nome.

“O que não é um princípio de igualdade, porque quando a pessoa vai procurar trabalho tem que explicar porque esse diploma que diz ‘Maria’ é na verdade de ‘Pedro’ e, obviamente, cria-se uma situação de discriminação tácita”, diz a advogada, ela própria vítima da regra que impõe que concorra à vaga no STJ como Tomáz, seu nome antigo.

Brasil
Ativista de direitos humanos, Tamara Adrián diz não ver diferença de tratamento a transexuais entre a Venezuela e o Brasil, onde esteve quatro vezes a convite para participar de seminários a convite do Ministério da Saúde e entidades de defesa de homossexuais.

“Todos os estudos já realizados demonstram que o grupo mais vulnerável que existe são os transexuais. Não me refiro apenas à identidade sexual, mas à violação de direitos humanos. Não há muita diferença dos refugiados e apátridas. Inclusive tem um elemento em comum: sem identidade, ambos [os grupos] estão em uma espécie de limbo e não podem trabalhar, estudar, acessar serviços de saúde ou circular livremente.



10 de nov de 2010

Rosinha,: " Que Mulher é essa?"

 SUCESSO  absoluto entre os DAS das Prefeitura de Campos! 
A cartilha da Rosinha!




“Que Mulher É Essa?”, de autoria de Rosinha Garotinho, será relançado no próximo dia 11, no estande da Companhia das Letras, na 6ª Bienal do Livro de Campos, na Praça São Salvador.
Leia aqui a programação completa da Bienal, e aqui a matéria que consta a programação desta terça (09/11) até sexta-feira (12/11).

 

Obs, Trata-se de um livro em que Rosinha fala sobre Bíblia e sobre a "Mulher virtuosa"



Cometcharius pra fofoca acima:

a) Mulher virtuosa? Ficha catalográfica:  Rosinha autora, Genero literário: ficção.
b) Mulher virtuosa? Vai explicar isso para o TSE!
c) Lançamento de livro? Lindamara vai estar também?
d)Lançamento de livro? Só não vale depois dizer que foi só uma simples entrevista.
b) WTF! Que cabelo é esse Rosinha!? Ameeega,  que foi que passaram nesse picumã!?




9 de nov de 2010

Gianecchini assume do que gosta: Pintos!

Aloka! Genti, alguém me explica isso. O empresário que descolou esse tampo pra ele deve amar o Giane!
E a música, não sái da minha cabeça; “tudo o que você mais gosta, tudo o que você mais quer!”

O ENEM e a HOMOFOBIA

Deu no Vi o Mundo

Na prova do Enem realizada nesse sábado, foi colocada uma questão sobre homofobia. A ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – elogia a inicitiva.
“É gratificante ver as deliberações da Conferência Nacional de Educação sendo respeitadas, e esforços sendo feitos para contribuir para o cumprimento do Plano Nacional de Promoção da Cidadania e dos Direitos Humanos de LGBT”, diz  o presidente Toni Reis em mensagem encaminhada hoje ao Ministério da Educação (MEC) e ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A AGLBT congrega 237 organizações congêneres e objetiva a defesa e promoção da cidadania desses segmentos da população.
Eis a questão:
“Pecado nefando” era expressão correntemente utilizada pelos inquisidores para a sodomia. Nefandus: o que não pode ser dito. A Assembleia de clérigos reunida em Salvador, em 1707, considerou a sodomia “tão péssimo e horrendo crime”, tão contrário à lei da natureza, que “era indigno de ser nomeado” e, por isso mesmo, nefando.
O número de homossexuais assassinados no Brasil bateu o recorde histórico em 2009. De acordo com o Relatório Anual de Assassinato de Homossexuais (LGBT – Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis), nesse ano foram registrados 195 mortos por motivação homofóbica no País.
A homofobia é a rejeição e menosprezo à orientação sexual do outro e, muitas vezes, expressa-se sob a forma de comportamentos violentos. Os textos indicam que as condenações públicas, perseguições e assassinatos de homossexuais no país estão associadas
A)    à baixa representatividade política de grupos organizados que defendem os direitos de cidadania dos homossexuais.
B)     à falência da democracia no país, que torna impeditiva a divulgação de estatísticas relacionadas à violência contra homossexuais.
C)     à Constituição de 1988, que exclui do tecido social os homossexuais, além de impedi-los de exercer seus direitos políticos.
D)    a um passado histórico marcado pela demonização do corpo e por formas recorrentes de tabus e intolerância.
E)     a uma política eugênica desenvolvida pelo Estado, justificada a partir dos posicionamentos de correntes filosófico-científicas.

E aí, já marcou a alternativa correta? 

6 de nov de 2010

O bonde das sapatas ! Asho Dygno!

Deu no O Globo
Transcultura: Conheça o grupo de funkeiras lésbicas de Brasília, o SapaBonde
Deu no O Globo
Fabiano Moreira
04_MHG_Sapabonde
RIO - Tudo começou com um churrasco regado a cerveja no isopor, com uma tampa de lixo para batucar e sete lésbicas sem freios na língua. As MCs do SapaBonde, de Brasília, começaram a improvisar versos que seguem o clima sexista do funk, "baixo, pesado e proibidão", como explica a MC Luara. Se o Tigrão bota a tchutchuca na cama e dá muita pressão e a Waleska Popozuda prepara aquele chá, elas chegam logo perguntando "quantos dedos você quer?" pras "minas".
"Os decotes são bem-vindos, eu não minto pra você. Então tira logo a blusa, preu melhor te conhecer", diz um dos versos de "Não se esconde", que convida as mulheres a irem pro SapaBonde.
- Todo grupo de amigas lésbicas tem piadas como as nossas - conta a MC Carol.
Ouça o 'EP remix' do Sapabonde
Ouça o mashup de João Brasil para 'Vai, não se esconde, Jack'
O vídeo do churrasquinho virou hit no YouTube, e o sucesso na web só cresceu quando a turma do site Funk na Caixa mandou versões à capela das três músicas das moças para produtores de oito países - lançando o "EP remix" -, e o carioca João Brasil pegou as mesmas bases para misturar com Jack Johnson no seu projeto 365 mash-ups.
Sem empresário, release, fotos de divulgação (a que ilustra este texto elas só fizeram depois de muito insistirmos) ou shows marcados, o Sapa logo criou polêmica com as suas letras:
- Passamos por uma época bem tensa, umas feministas bitoladas heteronormativas começaram a tretar por causa das músicas, que são, na verdade, uma brincadeira com o estereótipo de sapatão comedora - analisa Carol.
Nas primeiras músicas, elas só "comiam", mas estão trabalhando em outras, digamos, mais versáteis.
- Ficou mal-entendido, então gravamos mais cinco músicas com o SapaBonde fazendo uma linha mais passivona. "Eu te como, tu me come, porque sexo é assim", diz uma - antecipa Carol.
- Somos funkeiras e não roqueiras mirins. Nosso esquema é funk de roda, cervejinha e mulher bonita - diz a MC Nina.
" Homem é que nem cachorro: a gente até faz um carinho, mas nunca deixa subir na cama "
E muita sapa junto não dá briga, disputa de território, pantera reagindo a tapa de pantera?
- Brigamos por quase tudo: a última cerveja do isopor, a menina mais gata da festa, quem vai ficar na janelinha do avião... - reconhece Carol.
Entre as mulheres preferidas do grupo, estão Ana Paula Arósio, Ana Paula Padrão e "a menina do 'Crepúsculo'", arremata Mari.
- A gente segue um ditado: Homem é que nem cachorro: a gente até faz um carinho, mas nunca deixa subir na cama - ensina Carol.
A MC Tava G é o terror das "agá-tês" e faz o maior sucesso entre as meninas em festas de rock. A MC Maria preferiu não aparecer nas fotos - tem família evangélica e não quer mais sua imagem vinculada ao homoerotismo. Mas não larga o SapaBonde.

3 de nov de 2010

Personagens gays nos videogames !

Gente, personagens gays nos jogos de videogame !? Cliquem na imagem ou no link,  e leiam!
Depois dessa, vamos pegar no Joystick, minha gente!
Sem título

2 de nov de 2010

Sexo Animal! Asho Dygno!

Do Guia dos Curiosos

Existem animais homossexuais?

Uma das perguntas mais recorrentes que recebo no site “O Guia dos Curiosos” é sobre as relações homossexuais entre animais. Sim, há várias espécies em que os bichos se relacionam com outros do mesmo sexo. Até entre os insetos existem  gays. As moscas frugíveras, por exemplo, não têm o gene responsável pela identificação da diferença entre machos e fêmeas.
imagesCAUVAWDK
Os golfinhos são outro exemplo. A maioria dos golfinho-nariz-de-garrafa não faz diferença entre machos e fêmeas. Alguns  preferem unicamente os parceiros do mesmo sexo. O “nariz de garrafa” que dá o nome à espécie ainda serve para estimular a área genital do macho ou da fêmea, dependendo da escolha. Os golfinhos fazem da relação sexual uma forma de garantir a união do grupo.
Para os bisões, a relação entre dois machos tem um significado bem diferente. Os bisões-alfa, superiores aos colegas do bando, podem praticar sexo anal com os inferiores na hierarquia. Mas não é apenas para indicar dominação que eles fazem isso. As fêmeas estão disponíveis para o acasalamento apenas uma vez por ano. No período restante, os machos são a única opção de relacionamento.
imagesCAI92LNA
Os cines-negros machos mantêm relações homossexuais. Cerca de 25% dos cisnes machos dessa espécie são gays. Para procriar, eles procuram uma fêmea, mas a espantam assim que ela põe os ovos. Quem cuida dos filhotes? O casal de machos que espantou a fêmea! Bem, há os que prefiram roubar os ovos de ninhos de casais de cisnes heterossexuais.
untitled
Os macacos bonobos, popularmente chamados de “macacos hippies”, são adeptos do homossexualismo tanto entre os machos quanto entre as fêmeas, embora as macacas façam isso com mais frequência. Por quê?  Os bonobos fazem sexo constantemente, para resolver conflitos, por felicidade, para comemorar ou só por prazer.
Os albatroz-de-laysan, aves marinhas que vivem no Pacífico Norte, também apresentam comportamentos homossexuais. Cerca de um terço dos casais de colônias desses bichos no Havaí são formados por duas fêmeas.
Respondido?

1 de nov de 2010

Violência Silenciosa: suicídio entre jovens gays

PRECONCEITO FATAL
DISCRIMINAÇÃO LEVA JOVENS HOMOSSEXUAIS AO SUICÍDIO
Eduardo Knapp/ Folhapress
t0111201001
O namorado de Paulo, 20, pulou do sétimo andar

DIOGO BERCITO
DE SÃO PAULO
"Eu sempre fui o melhor em tudo", diz Geraldo*, 19. Aluno dedicado e filho comportado, o garoto entrou em crise quando descobriu que é gay. "Vi que não seria o melhor em alguma coisa", diz.
De tanto ouvir que sua vida estava errada, ele acreditou. Há um ano, injetou ar no braço, à espera da morte. Foi socorrido no hospital.
A história de Geraldo é semelhante à de quatro adolescentes norte-americanos que se mataram em setembro passado, alertando o país inteiro para um tipo de preconceito que pode ser fatal.
As mortes levaram o presidente Barack Obama a gravar um vídeo para o site It Gets Better (isso melhora, em português). A campanha (bit.ly/itgets) reúne depoimentos cuja mensagem é simples: ser gay não é errado.
Ainda assim, os homossexuais são uma minoria que sofre discriminação. Às vezes, a níveis insuportáveis.
Foi assim com o estudante de biologia Henrique Andrade, 21, que no dia 22 foi chamado de "bicha" durante uma comemoração de alunos da USP. "Falaram que eu estava manchando a festa." Ele levou chutes e socos.
"A homofobia está na sociedade e faz com que o gay ache que ele vale menos do que os outros", explica Lula Ramires, coordenador do Grupo Corsa (corsa.wikidot.com), que defende a diversidade sexual. A discriminação surge como ingrediente-chave nas pesquisas que apontam para a relação entre homossexualidade, juventude e suicídio.
O bullying pode causar o que os psicólogos chamam de "egodistonia" -alguém não gostar de como é.
"É um sofrimento muito grande se sentir fora da norma", diz Alexandre Saadeh, psiquiatra do Hospital das Clínicas. "A discriminação, para alguém que é humilhado em casa, por exemplo, pode se tornar insuportável."
PAIS E AMIGOS
A aceitação ou não dos pais é um fator de peso, segundo Miguel Perosa, professor de psicologia da PUC-SP.
"O jovem pode sentir que não pertence a esse mundo que o discrimina", afirma.
"Suicídio passa pela minha cabeça todos os dias, está cada vez mais difícil", desabafa o técnico em farmácia Caio*, 22. Demitido na semana passada, ele diz que foi dispensado porque é gay. Nos corredores, ouvia colegas o chamarem de "veado".
"Me faz querer dar um fim a isso", diz. "Eu respiro fundo, mas o pensamento é forte." Há três anos, ele tomou veneno. Mas sobreviveu.
Psicólogos recomendam que jovens com ideias suicidas busquem ajuda profissional imediatamente. Amigos devem ficar por perto.
Outra sugestão é procurar entidades como o GPH (Grupo de Pais de Homossexuais, www.gph.org.br), que faz reuniões quinzenais para ouvir jovens gays.
Apesar de nunca ter tentado se matar, Paulo Souza, 20, participou desses encontros.
Há quatro anos, ele perdeu o namorado e amigo de infância que, aos 19 anos, pulou do sétimo andar.
"Ele achava que não tinha futuro sendo gay", conta.
Sucesso e felicidade, no entanto, independem de orientação sexual.
Entre gays assumidos estão Ian McKellen, um dos mais premiados atores britânicos (o Gandalf de "O Senhor dos Anéis") e Klaus Wowereit, prefeito de Berlim.
O ator brasileiro e gay assumido Evandro Santo, 35, diz que nunca pensou em suicídio. Famoso pelo papel de Christian Pior no "Pânico na TV", ele foi expulso de casa quando era adolescente.
"Sobrevivi por um sentimento de vingança. Queria ficar vivo para as pessoas verem que eu seria famoso."
VAI MELHORAR
A organização do It Gets Better calcula que os vídeos da campanha já tenham sido vistos 15 milhões de vezes.
"Estamos decolando!", comemora o coordenador Scott Zumwalt, que trabalhou na campanha de Obama -e conseguiu a assinatura da republicana Laura Bush para a petição contra o bullying.
Segundo o Folhateen apurou, está sendo negociado um domínio brasileiro na internet para uma possível versão em português do site.

*Nome fictício

EQUAÇÃO DA MORTE
Em 2008, 711 brasileiros entre dez e 19 anos se suicidaram; não há números específicos sobre gays
Suicídio é a quarta maior causa externa de morte de jovens entre 15 e 19 anos (a primeira é homicídio)
Estima-se que o número de tentativas de suicídio supere o número de suicídios em pelo menos dez vezes
FATORES INTERLIGADOS
Pesquisas americanas mostram uma relação entre adolescência, homossexualidade e suicídio
Jovens gays são de duas a três vezes mais propensos a tentar o suicídio quando comparados a jovens heterossexuais
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...